sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Preciso Ser Outros


A maior riqueza do homem é a sua incompletude. Nesse ponto sou abastado. Palavras que me aceitam como sou - eu não aceito. Não agüento ser apenas um sujeito que abre portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que compra pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora, que aponta lápis, que vê a uva etc. etc. Perdoai Mas eu preciso ser Outros. Eu penso renovar o homem usando borboletas.

Manuel de Barros

domingo, 20 de novembro de 2011

O Choro


Choro, um choro doído, mas quisto.

Começo a andar e começo ver espelhos que refletem não minha imagem,

mas a imagem de pessoas que passaram por minha vida.

Algumas sorriem, outras pedem socorro,

outras dão as costas, e quanto mais ando,

mais corro, pareço não sair do lugar.

E uma voz parece me dizer: “Esse é seu lugar”.

Então sento,

e choro,

um choro aliviado.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Felicidade?


Felicidade?

Disse o mais tolo: "Felicidade não existe."
O intelectual: "Não no sentido lato."
O empresário: "Desde que haja lucro."
O operário: "Sem emprego, nem pensar!"
O cientista: "Ainda será descoberta."
O místico: "Está escrito nas estrelas."
O político: "Poder"
A igreja: "Sem tristeza? Impossível.... (Amém)"

O poeta riu de todos,
E por alguns minutos...
Foi feliz!

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Esquece o futuro...



Esquece o futuro. Ele não te pertence. O presente te basta.
Mas é preciso ser rápido quando ele é mau presente,
e andar devagar quando se trata de saboreá-lo.
Expressões como “passar o tempo” espelham bem a maneira de viver dessa gente prudente,
que imagina não haver coisa melhor para fazer da vida.
Deixam passar o presente, esquivam-se, ignoram o presente,
como se estar vivo fosse coisa desprezível.
A natureza nos deu a vida em condições tão favoráveis,
que só mesmo por nossa culpa ela poderá se tornar pesada e inútil.

Montaigne

domingo, 11 de setembro de 2011

Ouse...ouse TUDO!!!


OUSE... OUSE TUDO!
NÃO TENHA NECESSIDADE DE NADA!
NÃO TENTE ADEQUAR SUA VIDA A MODELOS, NEM QUEIRA VOCÊ MESMO SER UM MODELO PARA NINGUÉM.
ACREDITE: A VIDA LHE DARÁ POUCOS PRESENTES. SE VOCÊ QUER UMA VIDA, APRENDA... A ROUBÁ-LA!
OUSE, OUSE TUDO!
SEJA NA VIDA O QUE VOCÊ É, ACONTEÇA O QUE ACONTECER.
NÃO DEFENDA NENHUM PRINCÍPIO, MAS ALGO DE BEM MAIS MARAVILHOSO: ALGO QUE ESTÁ EM NÓS E QUE QUEIMA COMO O FOGO DA VIDA!

Lou Andreas-Salomé

domingo, 14 de agosto de 2011

As Três Palavras Mais Estranhas


"Quando pronuncio a palavra Futuro, a primeira sílaba já pertence ao passado. Quando pronuncio a palavra Silêncio, destruo-o. Quando pronuncio a palavra Nada, crio algo que não cabe no que ainda não existe."


terça-feira, 19 de julho de 2011

Hey? Tem Alguém aí?




Hey?!? Tem Alguém aí?

Tem alguém aí? Que me faça acreditar?
O silêncio certeiro traduz, com um soco na cara, a minha dúvida.
Faz tempo que não ouço o telefone tocar.
Há muito tempo também, não encaro as horas, os minutos e os segundos, mas sei que eles estão ali,
continuamente consumindo aquelas lembranças sempre reviradas.
As longas risadas de outrora já perderam a intensidade
e mesmo rodeado de pessoas imbecis me sinto protagonista de uma imbecilidade maior.
Desaprendi a sorrir?
Não me responda...

Hey?!? Tem alguém ai???

Resgato o cheiro bom de chuva na terra molhada
e recordo do quanto sentia-me livre naquele simples instante onde NADA era TUDO.
Era o momento em que a minha infância era registrada descaradamente na vida.
O azulejo português que sustentava o caminhar daquela velha senhora,
sempre me fez sonhar com um mundo de possibilidades infinitas
e justo ali eu me despia de todos os medos que a realidade me oferecia diariamente.

Ao tentar a fuga forçada de uma naturalidade chamada tempo,
descobri que aos poucos me foi arrancado, bruscamente, uma parte do amor.
Vi a carne chegar aos ossos e a terra cobrir as flores jogadas no último Adeus...
porquê?...porquê???

O barulho contínuo da metrópole, sufoca o som dos pássaros urbanos em suas respectivas árvores cinzas.
A natureza cala-se e dá passagem ao homem primata que em sua individualidade canta o capitalismo selvagem.
Eu, filho do caos, ainda como espectador, encaro cada movimento...subtraio-me.
Protagonista que sou...aquieto-me a observar.
Atravesso multidões, fantasio-me de NADA...desapercebo-me.
Torno-me ele e ela.
Sou aqui e ali.
Tenho medo de mim.

As folhas secas continuam sendo varridas junto com os restos do que fomos...
Mais um brinde por favor?
Sonhei com o amor por mais uma vez...

Amor?
Eu que sempre fui marcado pelo plural?
Eu que sempre fui beijos e palavras cultivadas na intensidade do agora?
Eu que sempre rasguei no verbo as verdades que me brotavam continuamente
quando sorrisos sinceros batiam de frente com os olhos que sempre buscam?

Busco, desesperadamente busco e embriago-me com a vida!!!

Fernando Resende

terça-feira, 28 de junho de 2011

O essencial é saber ver...



O essencial é saber ver, mas isso, triste de nós que trazemos a alma vestida,
isso exige um estudo profundo, aprendizagem de desaprender.
Eu prefiro despir-me do que aprendi,
eu procuro esquecer-me do modo de lembrar que me ensinaram
e raspar a tinta com que me pintaram os sentidos,
desembrulhar-me e ser eu.

Alberto Caeiro

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Você sabe que todas as coisas..



Você sabe que todas as coisas vão se acabar.
Resta o efêmero, resta o amor.
Faça-se amor, grita com as dores da consciência, toma as pílulas de alegria do sono e do sexo.
Repete o mesmo canto, as mesmas palavras, as mesmas súplicas surgidas da insatisfação do primeiro parto.
Soluça e ama na inutilidade das verdades que você diz e que já foram ditas e sentidas. Grita o amor à sua carne, a seu egoísmo, que nega que foge, porque você se ama e a todas as suas coisas, porque você sabe que todas as coisas de hoje, de amanhã de sempre vão se acabar, vão se acabar.


Autor: Stella Maris

domingo, 22 de maio de 2011

Abandono


Prefiro as máquinas que servem para não funcionar:

quando cheias de areia de formiga e musgo - elas
podem um dia milagrar de flores.

(Os objetos sem função têm muito apego pelo abandono.)

Também as latrinas desprezadas que servem para ter
grilos dentro - elas podem um dia milagrar violetas.

(Eu sou beato em violetas.)

Todas as coisas apropriadas ao abandono me religam a Deus.
Senhor, eu tenho orgulho do imprestável!

(O abandono me protege.)

Manoel de Barros

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Escolho meus amigos pela pupila


Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila. Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.

A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos. Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo. Deles não quero resposta, quero meu avesso. Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.

Para isso, só sendo louco! Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.

Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta. Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria. Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto. Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade. Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.

Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça. Não quero amigos adultos nem chatos. Quero-os metade infância e outra metade velhice! Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa. Tenho amigos para saber quem eu sou. Pois ao vê-los loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que a "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril.

Oscar Wilde

terça-feira, 29 de março de 2011

Aqui se vive...


Guimarães Rosa escreveu: "Viver é um descuido prosseguido".


Sigo à risca.

Me descuido e vou...

Quebro a cara. Quebro o coração.

Tropeço em mim. Me atolo nos cinco sentidos. Viver não é perigoso? Então, com sua licença! Não tenho medo.

Nasci assim. Descuidado. Encantado pela vida. "O sertão é dentro da gente".

Ah, como não? Aqui tudo é perdido. Tudo é achado. Somos ferro e fogo. Perigo nunca falta!

Sertão é igual coração. Se quiser, que venha armado! Tudo é igual. Aqui se vive. Aqui se morre. Dentro e fora da gente.

Confusão demais em grande demasiado sossego.

quarta-feira, 23 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

Nitimur In Vetitum


NOS LANÇAMOS AO PROIBIDO.


Sob este lema triunfará um dia a minha Filosofia,
porque até agora foi proibido, em princípio, tudo o que seja a VERDADE.


Nietzsche

sexta-feira, 4 de março de 2011

Os NORMAIS...


Eu não sou NORMAL! NORMAL é o mundo! As pessoas que governam e o povo que aceita.
NORMAIS são os terroristas, nazistas, homofóbicos e fanáticos religiosos.
NORMAIS são os políticos e quem aceita a mediocridade do padrão de vida.
NOrmais são os pobres acomodados e os ricos indiferentes.
NORMAIS são os pais que não levam as crianças pra escola e as colocam pra trabalhar.
NORMAIS são as pessoas que não amam, não sentem, não vivem.
NORMAIS são aqueles que vivem o futuro e esquecem o presente.
NORMAL é quem não bebe, não fuma, não sai para se divertir, quem tem medo de morrer e por isso deixa de viver.
NORMAIS são os falsos e dissimulados que vivem pelo mal do outro, é quem acaba com a própria vida por outra pessoa.
NORMAL é quem não tem amigos, quem nunca passou a noite acordado e viu o sol nascer, quem deixou de ser criança, quem nunca se apaixonou, quem não viveu uma grande história, quem nunca cometeu uma loucura.
NORMAL é quem nunca riu até não agüentar, quem nunca chorou até dormir, quem nunca amou até doer. É quem não sofreu para crescer, quem não amou por medo de chorar.
NORMAL é quem tem medo e vergonha de dizer que ama, quem não conhece a intensidade de uma fervorosa paixão, quem vive sozinho por opção.
NORMAL é quem não sente desejo, tesão, raiva, mágoa. Não sente por não ter por quem sentir, por não ter dado a chance de conhecer alguém para sentir o coração mais forte que a mente.
NORMAL é quem nunca soube viver, é quem se contentou por existir.
Eles são NORMAIS.
E eu?
Eu SOU LOUCO...

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

NUNCA SERÁ...


Bom...nem sei por onde vou começar a chutar tudo pro alto...


Cada dia que levanto, corajosamente contruo junto com meus sonhos e expectativas a possibilidade de acreditar que esse NOSSO BRASIL está caminhando para dias melhores...


Ledo engano meu bom rapaz...

Cada vez que mergulho minha cara na verdade, cada vez que a realidade grita nua diante de meus olhos, cada vez que as promessas morrem nas bocas sujas dos homens que carregam o poder, o gosto amargo da incapacidade de lutar visita as minhas lembranças.



VIDA LONGA A DESOBEDIÊNCIA!!!!


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Sonhos




Tenho um coração maior do que eu,

Tenho o tamanho de um sonho.

E o sonho escreve a minha vida que às vezes eu risco, rabisco, embolo

e jogo debaixo da cama (para descansar a alma e dormir sossegado).

domingo, 30 de janeiro de 2011

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A vida dentro da fábrica suicida do Iphone


Toda manhã, 'as 6h45, milhares de jovens trabalhadores correm para o portão norte da planta Longhua, a principal fábrica da Foxconn, um edifício de alta segurança cercado por dormitórios.
As meninas vestem casacos cinza e rosa. Os meninos estão de preto ou terno azul escuro. Todos têm um crachá magnético pendurado no pescoço, necessário para entrar no dormitório e nas proximidades da fábrica.
Na cidade de Longhua, cada prédio tem redes de segurança instaladas nos telhados e cabos de aço nas janelas para evitar que trabalhadores cometam suicídio. No entanto, um menino de 23 anos de idade se atirou do quarto no último mês de novembro: foi o 14˚ suicídio da fábrica Foxconn só este ano, de acordo com grupos de trabalho chineses.
Todos os trabalhadores comem uma sopa de macarrão por 3 yuans (R$ 0,76) no caminho para o trabalho. Eles são muito jovens: têm entre 17 e 24 anos.
Na fábrica Longhua, os 32 mil empregados produzem iPads, iPhones de quarta geração, os smartphones da Nokia, os cartuchos da HP, Sony Playstation e laptops da Acer e Dell.
Independente de estarem no turno do dia ou da noite, a maioria dos trabalhadores gastam 12 horas por dia, seis dias por semana, no chão da oficina. Eles têm um intervalo de apenas 10 minutos a cada duas horas e não estão autorizados a falar uns com os outros. “Desde os suicídios, muitas coisas mudaram: podemos sentar durante o trabalho e os nossos gestores foram ensinados a ser menos grosseiros conosco'' , conta o funcionário Liao Ting.
Após três aumentos desde junho, Liao agora ganha 3,2 mil yuans por mês (R$ 811), incluindo horas extras. Sua situação é muito melhor se comparada com a de maio, quando sua renda era de 1,2 mil yuan (R$ 304). Ele vem trabalhando na linha de montagem do iPhone 4G há oito meses.
No entanto, Liao culpa a Foxconn pela enorme pressão no trabalho. “Em troca do aumento salarial, me cobram um aumento de produtividade de 40%. Todos os dias tenho que verificar a pintura de 8 mil iPhones''. Liao Ting lamenta a falta de simpatia dos seguranças ou gerentes causada pela imensidão da fábrica e sua solidão em seu dormitório.




Tempos Modernos. Navios Negreiros seriam chamados como hoje em dia? E tudo isso...descaradamente patrocinado.



terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Embaixo d'água





Palmas e mais Palmas...
Mais uma vez a história se repete...
20 anos com os mesmos BANDIDOS no poder...

Quer Saber?
VIVA o Carnaval...



A minha TV está louca...
Me mandou calar a boca e não tirar a BUNDA do SOFÁ...